segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Morte do ditador Kim Jong-Il causa preocupação na comunidade internacional

Nesta segunda-feira, 19/12, o governo norte-coreano confirmou a morte de seu líder, o ditador Kim Jon-Il. A morte do ditador permaneceu em segredo durante dois dias e agora foi divulgada oficialmente. A notícia traz um cenário de tensão nos países vizinhos e em países que possuem conflitos com a Coreia do Norte.

O sucessor do ditador morto será seu filho Kim Jon-Un, um jovem que é pouco conhecido, de forma que suas atitudes no poder são vistas como incertas.

Diante dos acontecimentos a Coreia do Sul já começa preparar-se para eventuais conflitos. Após o anuncio da morte do ditador norte-coreano a Coreia do Sul colocou seu exército em alerta máxima. O Japão também já está se preparando, de modo que já realizou uma reunião de emergência para discutir o assunto. O EUA ainda não se pronunciou, mas obviamente está acompanhando a situação com apreensão.

A Coreia do Norte é vista como perigosa por muitos devido a seu exército que possui 1,19 milhões de homens e um arsenal capaz de amedrontar até os americanos, tendo posse de armas convencionais e químicas, além de milhares de mísseis de curto e médio alcance, podendo alcançar território dos EUA. O país ainda possui capacidade de produzir até oito bombas atômicas.
Toda essa força militar passa a estar nas mãos de um jovem com propósitos desconhecidos, que pode vir a usar a força bélica na tentativa de conquistar seu povo.

O país que sempre foi visto como uma ameaça agora também é um mistério. O perigo existe e o que resta ao mundo é esperar para ver o que este garoto fará com o poder que tem nas mãos. A projeção não é nada animadora.