segunda-feira, 12 de maio de 2014

Povo e Seleção, cada vez mais distantes




Por se tratar de ano de Copa do Mundo, muitos esperavam que em 2014 o povo brasileiro iria preparar uma grande festa para sua Seleção, porém quanto mais nos aproximamos da Copa, mais forte ficam as evidências de que o brasileiro não venera tanto à amarelinha como era antigamente.

Uma recente pesquisa da UniCarioca apontou que 45% dos entrevistados rejeitaram a possibilidade de torcer para Seleção Brasileira de Futebol nesta Copa do Mundo.

Para quem duvida de pesquisas, basta fazer uma simples comparação, busque na memória como o Brasil estava em 2010, 2006, 2002, 1998. Bastava sair de casa e já pudíamos observar bandeiras, ruas e comércios pintados, todo aquele sentimento patriota que o brasileiro tinha costume de associar ao time do Brasil. Isso não pode ser visto neste ano, não se percebe entusiasmo, ansiedade, e nem de longe o sentimento de patriotismo de outrora, diga-se de passagem, torcer para Seleção Brasileira e ser patriota são coisas bem distintas.

Já era esperado que houvesse rejeição à realização da Copa do Mundo no Brasil, isto devido à má organização, superfaturamento das obras, falta de investimento na infraestrutura, dentre outros fatores que levaram o brasileiro à enxergar com maus olhos o evento no país, porém, a Seleção era vista como uma situação à parte, ser contra a realização do evento, não significa ter que deixar de torcer para o time brasileiro.

Os jogadores convocados e o Técnico Felipão não têm responsabilidade nenhuma sobre à corrupção e incompetência do governo brasileiro. Então porque boa parte dos brasileiros passou a rejeitar à seleção?

Não existe uma resposta objetiva para esta questão, talvez seja um conjunto de fatores que levou à esse resultado.

Quem acompanha o futebol brasileiro de perto, certamente está descontente com à corrupção que assola à CBF, entidade que comanda o futebol brasileiro, e que lucra, e muito, com a seleção brasileira.

Para aqueles que não são fanáticos por futebol, e mesmo assim sempre acompanharam à amarelinha, demonstram insatisfação com à situação atual do país, e talvez para "chutar o balde" resolveram torcer contra os comandados do Felipão.

Certamente, existem outros fatores para acrescentar nesta lista, o fato é que, a política de "pão e circo" é cada vez menos eficaz em solo brasileiro, o entusiasmo fácil, perdeu lugar, para revolta demasiada.