segunda-feira, 27 de julho de 2015

O decadente futebol brasileiro





Diferente do que muitos imaginavam, a Copa do Mundo de 2014, não veio para afirmar a superioridade do futebol brasileiro. Dentro das quatro linhas, o que veio à acontecer, foi exatamente o inverso.

Os sinais da decadência do futebol brasileiro, já haviam aparecido, muito antes da Copa de 2014, estavam evidentes, escancarados, gritando desesperadamente, para quem quisesse ver e ouvir. Mas, os sinais foram ignorados, era preciso que algo ainda mais alarmante viesse à acontecer. E, aconteceu, naquele fatídico, 8 de julho de 2014, o maior vexame do futebol brasileiro, Brasil 1x7 Alemanha.

Foi uma pancada forte demais para ser assimilada, o futebol brasileiro foi à lona. Passando o efeito entorpecente da pancada, algumas artimanhas do futebol brasileiro passaram a ser discutidas, como nunca antes na história deste país.

O discurso de mudança ganhou força, a palavra renovação entoava na boca de dirigentes com todo entusiasmo do mundo.

Passado mais de um ano do vexame, nada mudou no futebol brasileiro. A CBF, continua comandando sem nenhuma transparência. O atual mandatário, Marco Polo Del Nero, sequer pode deixar o país, pois está sendo investigado pelo FBI, e teme ser preso.

A comissão técnica da seleção brasileira continua sendo comandada por pessoas incompetentes, como, Dunga, que ainda está aprendendo a ser treinador de futebol, e, Gilmar Rinaldi, o empresário, que virou Coordenador de seleções da CBF.

A decadência, infelizmente não se resume a seleção brasileira, atinge com força, todo futebol nacional. O campeonato brasileiro não evoluiu em absolutamente nada nos últimos anos, continua sendo praticado com baixíssima qualidade técnica, não consegue manter os melhores jogadores no país, e além disso, possui uma corja de dirigentes de clubes incompetentes e covardes, que aumentam cada vez mais as dívidas dos clubes, e temem tentar qualquer tipo de rompimento com a CBF.

O cenário para o futebol brasileiro é desolador, a decadência continua e o poço parece ser muito mais fundo do que podíamos imaginar.