segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

A natureza começa a revidar


Já a muito tempo diversos estudiosos alertavam o mundo dos possíveis problemas que a poluição e o desmatamento descontrolados poderiam acarretar. Mas o ser-humano que por muitas vezes insiste em ser irracional não se preocupou com o futuro e agora começa a sofrer as consequências por seus atos.

Ao contrario do que muitos diziam, as consequências não recairão apenas sobre os nossos descendentes, pois já começamos a enfrentar seríssimos problemas provenientes da força da natureza.

O primeiro grande sinal do que estaria por vir foi o Tsunami que atingiu a Indonésia, Índia, Sri Lanka, Tailândia, Malásia, Ilhas Maldivas e Bangladesh, matando mais de 170 mil, isto sem contar os desaparecidos, que podem elevar o numero de vitimas fatais para 220 mil pessoas.

As catástrofes não pararam por aí,  o Japão sofre com aumento dos terremotos, a Holanda enfrentou a maior enchente do século, os Estados Unidos sofrem com furacões e fortes nevadas. Estes são apenas alguns exemplos do desiquilíbrio da natureza que atinge o mundo inteiro.

De acordo com dados da ONU, as catástrofes naturais vêm aumentando nos últimos trinta anos numa taxa média anual de 6%.

O Brasil, que era um país tranquilo no que diz respeito a desastres da natureza, também começa a sofrer. O desastre em Santa Catarina deu início a diversas cheias que vêm se espalhando pelo território brasileiro, que já atingiu Espirito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, deixando centenas de mortos e desabrigados.

Os prejuízos com catástrofes da natureza são elevadíssimos, além das vidas que são interrompidas.

Agora os governantes tentam achar soluções imediatas para interromper tantas tragédias, talvez não pela preocupação com as vidas perdidas e sim pelo prejuízo financeiro que estão tendo. O problema é que agora pode ser tarde demais.