sábado, 24 de janeiro de 2009

Até gato tem o privilégio do Bolsa Família


A pouco tempo atrás um agente de saúde descobriu uma fraude na cidade de Antônio João, Mato Grosso do Sul. O agente de saúde havia ido até a casa de um beneficiário do Bolsa Família para saber o motivo pelo qual a criança Billy Flores não havia sido levada para receber a medicação e realizar pesagem, para surpresa do agente de saúde, a mulher que o atendeu, disse que o único Billy que tinha naquela casa, era um gato de estimação.
O ocorrido foi informado a prefeitura de Antônio João, que abriu sindicância e constatou a fraude realizada pelo coordenador local do programa, Eurico Siqueira da Rosa.
Neste caso o gato Billy Flores recebeu vinte reais durante cinco meses, e este, infelizmente, é apenas um das centenas de casos de fraude no Bolsa Família.
Os programas assistências são importantes para países como o Brasil, que ainda combate a miséria, entretanto tem que haver fiscalização, para que não ocorra fraudes como esta, que acabam levando ao disperdício do dinheiro público.